Teste ergométrico: entenda para que serve e como é feito o exame

Conheça a importância do teste ergométrico e como ele é importante para acompanhar sua saúde.
Teste ergométrico de esforço na esteira

Para que serve o teste ergométrico?

Sabemos como é importante cuidar da nossa saúde. Realizar check-up anualmente permite identificar precocemente doenças e fatores de risco.

O teste ergométrico, associado a outros exames, é capaz de auxiliar na avaliação cardiovascular. Também é conhecido como teste de esforço.

O teste ergométrico permite identificar problemas cardíacos, analisando como o coração do paciente reage ao esforço físico.
 

Quando o exame ergométrico é indicado?

O exame ergométrico é um meio de conseguirmos descobrir se nosso coração está saudável, podendo ser indicado nas seguintes situações:

  • Exames de check–up depois dos 40 anos ou antes caso o paciente tenha fatores de risco para doenças coronarianas;
  • Suspeita de alguma alteração na capacidade cardiorrespiratória;
  • Avaliar o funcionamento cardíaco durante exercícios;
  • Avaliação pré-participação de atividades esportivas e condicionamento;
  • Avaliar o funcionamento de dispositivos implantados;
  • Avaliar resposta terapêutica de medicamentos e evolução clínica.
     

Doenças que podem ser diagnosticadas por teste de esforço          

Como esse teste avalia nosso coração durante a atividade física é possível diagnosticar algumas doenças:

  • Isquemia miocárdica;
  • Arritmias cardíacas;
  • Distúrbios hemodinâmicos;
  • Hipertensão arterial;
  • Distúrbios de condução;
  • Estratificação de risco para infarto do miocárdio;
  • Hiper-reatividade da pressão arterial ao esforço.
  • Pré-excitação ventricular tipo Wolf-Parkinson-White.

 
Como é feito o teste ergométrico?

O teste é feito de forma simples, utilizando uma esteira ou bicicleta, aparelho de pressão e o eletrocardiograma, seguindo esse passos:

  1. 11 eletrodos são colocados no tórax do paciente
  2. Logo em seguida no braço é posicionado um aparelho para medir a pressão arterial;
  3. Seguindo, o paciente é colocado em uma esteira ou uma bicicleta ergométrica;
  4. O paciente se movimenta com intensidade progressiva, respeitando seu condicionamento. A desaceleração é gradativa após atingir exaustão espontânea ou 100% da frequência cardíaca máxima predita para a idade.

Teste ergométrico interrompido por exaustão

Como esse exame testa a capacidade máxima de esforço do paciente pode ocorrer exaustão durante o exame, sendo assim necessária a interrupção do exercício.

Além do motivo de exaustão, o exame deve ser interrompido caso haja sinais de sintomas compatíveis de isquemias ou alteração significativa do ritmo cardíaco.
 

Quanto tempo dura o teste da esteira?

O teste dura em média 20 minutos, sendo em média 10 minutos de exercício e 6 minutos de recuperação.
 

O que comer antes do teste ergométrico?

Duas horas antes do teste é necessário realizar uma refeição com alimentos de fácil digestão como iogurte, maçã, banana, mamão, ameixa.
 

O que não fazer antes do teste ergométrico?

Recomendações importante para antes do teste ergométrico:

  • Não estar de jejum;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Não fumar;
  • Não tomar café;
  • Não praticar exercícios físicos (treinamento);
  • Não usar hidratantes ou sabonetes cremosos.
     

Possíveis resultados do exame

O exame ergométrico pode ter alguns resultados diferentes analisando a frequência cardíaca, pressão arterial, variáveis clínicas, traçado eletrocardiográfico e estimativa de consumo de O2 e MET.
 

Valores do teste ergométrico

Analisando cada setor que o exame nos disponibiliza é possível ter uma noção dos valores que serão analisados pelo médico.

Frequência Cardíaca:

O valor da frequência cardíaca (FC) aumenta conforme progressão do exercício, o resultado é considerado satisfatório ao alcançar pelo menos 85% da frequência cardíaca esperada para a idade.

Caso a FC caia durante o exercício pode indicar uma doença cardíaca, e havendo uma queda menor que 12 bpm no 1º minuto da recuperação em relação ao pico do esforço pode indicar uma baixa atividade vagal.

Pressão Arterial:

Analisando a pressão arterial é normal que a pressão sistólica (PAS) suba conforme o esforço do paciente e a pressão diastólica (PAD) permaneça estável ou caia. Temos a uma resposta hiper-reativa quando os valores de PAS >220 mmHg e/ou elevação de 15 mmHg ou mais de PAD.          

Variações Clínicas:

Para as variações clínicas, é utilizada a escala de BORG (imagem abaixo) para avaliar a percepção do esforço físico.

escala de borg - teste ergométrico
Fonte: Portal Peb Med

 

Traçado Eletrocardiográfico:

O traçado eletrocardiográfico são as ondas que representam eletricamente a atividade de despolarização e repolarização dos átrios e ventriculos. Na detecção de isquemia miocárdica, analisa-se principalmente a repolarização ventricular.

Um infradesnivelamento do segmento ST > 1,0 mm, pode indicar isquemia miocárdica.

 
Estimativa do consumo de O2 e MET:

O MET é a unidade de medida que mostra o consumo de O2 por unidade de tempo e Kg, sendo calculada pela fórmula MET= VO2máx / 3,5. Caso o VO2 esteja muito baixo (intolerância aos esforços) pode indicar uma doença isquêmica.
 

O que é teste ergométrico negativo?         

Quando o teste ergométrico indica negativo ou não compatível com isquemia, está concluindo que o exame não detectou sinais de isquemia no miocárdio.


Teste ergométrico que não permite afastar resposta isquêmica do miocárdio (sugestivo)

Não havendo uma resposta clara se há isquemia no miocárdio, existem outros exames que podem auxiliar na avaliação, destaca-se o ecocardiograma com stress e a cintilografia de miocárdio (estudo de imagem cardíaca com medicina nuclear).
 

Onde fazer o teste ergométrico no RJ ou SP?

O Alta Excelência Diagnóstica tem unidades espalhadas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Para agendar sua consulta é simples e rápido, basta escolher a unidade mais próxima e agendar o melhor dia e horário através da nossa plataforma de agendamento online.

 

 

Categoria
Saúde