Diabetes tipo 2: o que é, como prevenir, sintomas e tratamento da doença

diabetes tipo 2


Dra. Lilian Albuquerque 
Médica endocrinologista 



Diabetes tipo 2 é uma condição clínica caracterizada por níveis elevados de glicose no sangue. A doença se apresenta em franco crescimento na população mundial ao longo dos últimos anos, e, cerca de 40% das pessoas que têm alteração na glicemia desconhecem ter esse problema da saúde. 

Se não tratada de forma adequada, a doença pode ocasionar alterações em sistemas importantes do organismo como o circulatório, nervoso e renal.  

O que é a diabetes tipo 2?  

Diabetes melito tipo 2 é uma doença metabólica crônica caracterizada por valores elevados de glicose no sangue; a hiperglicemia.    

A doença se desenvolve pelo comprometimento progressivo da produção de insulina pelas células pancreáticas tipo beta e pela resistência a ação do hormônio em órgãos como fígado e músculo. 
 

Clique aqui para agendamento de exames e consultas

 

Como prevenir a diabetes tipo 2?  

A diabetes mellitus tipo 2 é uma doença heterogênea que resulta da interação de fatores genéticos e ambientais. Os principais fatores de risco para a doenças são: excesso de peso, sedentarismo, história familiar da doença, o envelhecimento (idade ≥ 45 anos) e hipertensão arterial sistêmica.

Ter hábitos de vida saudáveis como alimentação balanceada e prática regular de exercícios físicos estão entre as formas eficientes de prevenção da doença. 

Diabetes tipo 2: sintomas  

A diabetes pode se apresentar sem sintomas a depender dos valores de glicemia apresentados pelo paciente, sendo o diagnóstico realizado pela presença de alterações nos exames laboratoriais (glicemia de jejum, hemoglobina glicada e teste oral de tolerância à glicose). Aproximadamente 40% dos indivíduos que apresentam diabetes desconhecem ter esse diagnóstico. Por isso, a busca ativa por casos está indicada em algumas situações. 

No caso de pacientes que apresentam sinais e/ou sintomas, podem ser citados principalmente:

  • presença de acantosis nigricans (manchas escurecidas em regiões de dobras como pescoço, axila e virilha);
  • polidipsia (sede em excesso);
  • alterações visuais como visão embaçada;
  • poliúria (urina em excesso);
  • parestesias (dormências) em mãos e/ou pés;
  • redução de peso não intencional;
  • cansaço. 

Diabetes tipo 2 tem cura? 

A doença não tem cura, mas é fundamental esclarecer que, com informações adequadas e seguindo as orientações médicas e nutricionais recomendadas, além da realização das consultas de rotina e dos exames periódicos, é possível manter os níveis de glicemia sob controle e viver de forma saudável. 

Diabetes tipo 1 e 2: qual a diferença entre elas?  

O diabetes mellitus tipo 1 ocorre em de 5 a 10% dos casos de diabetes. Nesse tipo de diabetes acontece uma destruição das células beta pancreáticas, de causa autoimune na grande maioria dos casos, ocasionando deficiência absoluta da insulina com o tempo. O diagnóstico é realizado principalmente na infância e adolescência, mas pode ocorrer em todas faixas etárias.   

Já o diabetes mellitus tipo 2 ocorre em cerca de 90% dos casos de diabetes. O mecanismo responsável pela hiperglicemia é a deficiência da produção da insulina e o comprometimento da sua ação; o que se denomina de resistência insulínica. O diagnóstico é realizado principalmente na fase adulta, mas a doença pode ser diagnosticada também em crianças, adolescentes e idosos.   

Dieta para diabetes tipo 2  

A alimentação balanceada é um componente fundamental para atingir as metas recomendadas para o controle da diabetes. Além de auxiliar o alcance dos valores de glicemia recomendados, é importante para atingir e manter estado nutricional adequado; para o controle do peso, do colesterol e da pressão arterial.  

O plano alimentar a ser seguido deve ser individualizado, levando em consideração os objetivos metabólicos e nutricionais de cada indivíduo. Algumas orientações importantes são: 

  • priorizar a ingestão de carboidratos complexos, ricos em nutrientes e em fibras como grãos integrais 

  • preferir a ingestão de frutas ao consumo de sucos 

  • evitar consumo de carboidratos finos como farinha branca e massas  

  • priorizar as gorduras monoinsaturadas, como óleo de canola e azeite de oliva, e poliinsaturadas como peixes (atum, sardinha, salmão) e óleos de soja e milho 

  • evitar frituras 

  • evitar o consumo de bebidas alcoólicas 

Qual o tratamento para diabetes tipo 2?  

O tratamento da doença é de extrema importância, pois a hiperglicemia, a longo prazo, pode ocasionar complicações, principalmente cardiovasculares, renais, comprometimento neurológico e ocular. Para tratar a diabetes é necessário uso de medicamentos que auxiliam no controle da glicemia e ter um estilo de vida saudável, baseado na prática regular de exercícios físicos e alimentação balanceada.

Outros pontos importantes são: sono adequado, reduzir estresse e ter atividades de lazer com frequência. É fundamental também a vigilância e controle intensivo de outros fatores como o colesterol e a pressão arterial. 

Clique aqui para agendamento de exames e consultas

 

 

Categoria
Saúde