Depressão e ansiedade na quarentena: sintomas e como lidar

Você sente que está com depressão ou ansiedade na quarentena? Veja algumas dicas e orientações do que fazer para manter a saúde mental na pandemia.
Depressão

Depressão e ansiedade na quarentena em tempos de coronavírus: o que fazer?

 

A pandemia do Coronavírus é algo novo vivido por nós e pode desencadear alterações na nossa saúde mental. Esse momento, mais do que nunca, precisamos estar cientes de que mesmo de longe, estamos juntos e ter a certeza de que tudo isso irá passar.

No texto abaixo, separamos algumas dicas para amenizar esse sentimento de angústia e instabilidade que estamos vivendo. Saiba como lidar com surtos de ansiedade na quarentena e a depressão.

 

O que a psicologia diz sobre ansiedade no isolamento social?

Como estamos vivenciando um momento de angústia, incertezas e medo do futuro, a psicologia explica que é comum sentir-se ansioso com toda essa situação.

Devemos nos atentar se essa ansiedade evolui para casos mais complexos, que se não tratados podem se tornar depressão. Algumas dicas, que serão citadas abaixo, são fundamentais para não deixarmos isso dominar o nosso dia a dia e passarmos por esse período da forma mais saudável possível. 
 

Qual a diferença entre ansiedade e depressão?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, atualmente o Brasil é o país mais ansioso do mundo, com mais de 18 milhões de pessoas convivendo com o transtorno. A depressão atinge mais de 12 milhões de brasileiros, o que faz o ser o 5° país com a maior prevalência do mundo.

A ansiedade e a depressão andam lado a lado e podem ser acompanhadas uma da outra. A diferença entre elas é o diagnóstico dado por especialistas, uma vez que é necessária uma análise profunda para entender os fatores como histórico familiar, experiências passadas etc.

Ambas precisam de tratamento longo e contínuo e em caso de suspeita, o auxílio médico é requerido. 

 

Como saber se você está com ansiedade?

É comum nos sentirmos ansiosos para realizar atividades do dia a dia, como uma prova difícil, uma entrevista de emprego, uma viagem de negócios etc. O problema é quando isso toma proporções mais sérias e começa a afetar nossa rotina, desencadeando o chamado transtorno de ansiedade, uma doença psiquiátrica que deve ser tratada.

Sintomas comuns de uma crise de ansiedade são:

  • Tristeza;

  • Angústia;

  • Nervosismo

  • Sofrimento por antecipação;

  • Dificuldade de concentração;

  • Irritabilidade

  • Falta de ar.

 

Quais os principais sintomas de depressão?

A depressão é um transtorno psiquiátrico que atinge milhões de pessoas em todo o mundo. 

Os principais sintomas são:

  • Tristeza profunda sem explicação

  • Baixa autoestima seguido de sentimentos de inutilidade;

  • Mudança de apetite;

  • Ganho ou perda de peso;

  • Insônia;

  • Dormir em excesso;

  • Sentir-se sem esperança;

  • Sentir-se culpado;

  • Dores físicas.

 

Como lidar com a ansiedade na quarentena?

A Organização Mundial da Saúde separou algumas dicas importantíssimas para o momento, confira:

            Não resuma seus dias a notícias sobre a doença

Evite, na medida do possível, ler ou ouvir notícias que te causem ansiedade. Informe-se através de fontes confiáveis e decida a melhor maneira de proteção para você e as pessoas que você ama.

          Ouça e fale

 Escute os problemas das pessoas com solidariedade e empatia, pois cada um lida com esse momento de diferentes maneiras.

Não deixe de falar sobre seus sentimentos, converse com amigos e familiares sobre o que está acontecendo, isso diminuirá a angústia.

IMG1

 

Mantenha a rotina

 Sempre que possível, mantenha a sua rotina e a das crianças também. Separe momentos para tarefas, brincadeiras e relaxamento.

Seja saudável

Opte por passar esse período priorizando uma dieta balanceada, sono regulado, exercícios físicos ou mentais (como meditação) e contato virtual frequente com pessoas que você confia e ama.

img2

 

Se atente aos exageros

 Evite o consumo de álcool, cigarro ou outras drogas para aliviar o estresse. Caso sinta necessidade deles, converse com um profissional que poderá te auxiliar na sua saúde física e mental.

Lembre-se que o exagero no consumo desses produtos também diminui a nossa imunidade. 

Mantenha as crianças por perto

Caso seja seguro, mantenha as crianças próximas a você e evitem se separar delas. Converse frequentemente com eles, explique a situação de maneira clara de acordo com a idade da criança, isso poderá diminuir a ansiedade dos pequenos.

IMG3

 

Prevenção: o que fazer para evitar ansiedade durante a pandemia do coronavírus?

Uma reportagem realizada pelo BBC News Brasil, mostrou o que especialistas dizem sobre o assunto.

Segundo Cláudio Martins, vice-presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, o ideal é que mantenha contato virtual com amigos e familiares e continuem seus projetos planejados.

"É importante manter o autocuidado com a alimentação, hidratação e se comunicar por meios eletrônicos. É necessário ocupar a mente com outras coisas e não passar o dia vendo notícias sobre coronavírus. Não pode ficar concentrado na doença, pois isso pode gerar uma obsessão mental e incapacitar as pessoas de se desenvolverem", afirmou o especialista.

 Algumas dicas para prevenir a ansiedade são: 

  • Pratique atividades que sejam boas para o corpo e para a mente;

  • Se exercite;

  • Escute músicas;

  • Desenhe, pinte, cante e dance;

  • Mantenha uma alimentação saudável;

  • Pratique meditação;

  • Abusar da criatividade para realização de outras tarefas;

  • Viva um dia de cada vez;

  • Se necessário procure ajuda profissional.

  • Mantenha contato frequente com amigos e familiares.

 

A importância de cuidar da saúde mental e física durante o isolamento social

Você sabia que é possível cuidar da sua saúde respeitando o isolamento social?

O Alta conta com a opção de atendimento domiciliar que vai até você! Basta escolher a melhor data através do nosso agendamento online. Confira como é feito:

 

Devemos lembrar que durante esse momento, pacientes crônicos devem manter o acompanhamento médico e continuar o tratamento indicado.

Fontes:

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/bbc/2020/03/31/coronavirus-o-que-fazer-para-evitar-depressao-ansiedade-e-panico-durante-isolamento.htm

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6130:covid-19-materiais-de-comunicacao&Itemid=0#atividade

https://www.medley.com.br/podecontar/preciso-ajuda/sintomas-depressao