Sarampo: uma doença reemergente

por Dra. Maria Isabel de Moraes Pinto
vacina-sarampo

 

Desde 2018 estamos vivenciando o ressurgimento de uma doença grave que havia sido eliminada de nosso país: o sarampo.

Em 2018 foram 10.326 casos confirmados no Brasil, a maioria, no Amazonas e em Roraima, com 12 óbitos. Em 2019, até 7 de junho, temos 51 casos confirmados só no Estado de São Paulo, além daqueles ainda em investigação.

Gráfico

 

Para evitar que uma doença tão grave como o sarampo se espalhe, algumas medidas são necessárias.

1. A primeira delas é saber que existe uma vacina segura que previne o sarampo. O Ministério da Saúde recomenda duas doses de vacina contendo o componente do sarampo para pessoas de 12 meses a 29 anos, e uma dose para indivíduos entre 30 e 49 anos. No Estado de São Paulo, a recomendação é de uma dose da vacina para adultos acima de 30 anos e os nascidos a partir de 1960.

A vacina tríplice viral (sarampo-caxumba-rubéola ou SCR) está disponível nas unidades de vacinação do Alta. Ela pode ser administrada a crianças a partir dos 12 meses, adolescentes e adultos de qualquer idade em duas doses, com intervalo de um a dois meses. Indivíduos com história pregressa de sarampo são considerados imunizados contra o sarampo, mas é preciso certeza do diagnóstico. Na dúvida, recomenda-se a vacinação.

A vacina tetraviral (sarampo-caxumba-rubéola-varicela ou SCRV) também pode ser administrada em crianças de 12 meses a 12 anos.

Tanto a vacina SCR quanto a SCRV são vacinas com vírus vivos atenuados. Por isso, são contraindicadas em algumas situações:

  • Pessoas com história de anafilaxia após aplicação de dose anterior da vacina ou a algum componente
  • Grávidas
  • Crianças menores de 6 meses
  • Pessoas com comprometimento da imunidade por doença ou medicação

Nessas situações em que a vacina é contraindicada, é importante que todos os contactantes do indivíduo sejam vacinados, de modo a conferir a quem não pode ser vacinado uma proteção indireta.

 

2. Além de ser vacinado, é preciso saber que se houver exposição a algum caso suspeito de sarampo, você deve entrar em contato com o seu médico imediatamente para que sejam tomadas todas as medidas necessárias nessa situação.

 

Proteja-se  contra o sarampo! Vamos enfrentar este desafio e fazer o Brasil novamente um país livre do sarampo!

Categoria
Saúde